“Preto Show é um infeliz”, diz Salu Gonçalves

Ferramentas

O radialista Salu Gonçalves disse que Preto Show é um infeliz, em resposta ao ataque por parte do cantor. Recorde-se que Preto Show reagiu às críticas do jornalista à suposta falta de humildade demonstrada por músicos nacionais. Em resposta, o autor de "Panamera" afirmou, numa das suas declarações, que os músicos agora andam ocupados em entrevistas com outras estações de rádios e as novas plataformas digitais, realçando o facto de que, anteriormente, lhes eram dadas muitas voltas.

Então, perante as afirmações do cantor, Salu Gonçalves, em entrevista ao ONgoma, ripostou: “o Preto Show tem-se vangloriado pelo facto de hoje existirem as plataformas digitais, onde pode pôr as suas músicas e tudo mais, porém eu quero ver até onde é que ele vai, porque é do tipo de artista que aparece de imediato, e rapidamente também desaparece. Ele deu uma de advogado do diabo, mas não foi tocado no assunto, por isso não tinha nada que defender os outros artistas, pois a verdade é que os criticados nem se manifestaram, sabendo eles que a crítica não foi vã”.

Salu, que apresenta o programa de rádio “Kialumingo” há mais de 24 anos, disse ainda que os artistas angolanos andam com vaidade em excesso e muita falta de humildade. “Eles que não se esqueçam que cresceram fruto do que a comunicação social também fez por eles, porque não foi só o talento, foi também o que nós fizemos, e entretanto não quero nenhuma exclusividade. Eu expus apenas a verdade. Já estive em canais televisivos e de rádio, e todos foram unânimes em confirmar que eu tive razão em dizer determinadas coisas. Peço desculpas pelos excessos, mas uma boa parte dos artistas angolanos está a perder a humildade, e não há essa necessidade”, contestou.

Relativamente à reacção do público, o jornalista disse que os fãs destes artistas, nomeadamente Matias Damásio e Ary, que segundo o mesmo são os dois nomes no topo da lista, "às vezes entendem muito mal as criticas que são a eles feitas. A crítica é feita ao artista, não à pessoa. Eles têm as suas famílias, as suas vidas, para além da rádio, televisão, portais, jornais e revistas, porém, eles que não esqueçam que somos parte do sucesso que atingiram hoje”, alertou.