Opinião - Mania de imitar...

Ferramentas

“Em França morrem 12 pessoas, todo o mundo chora. Na Nigéria morrem 2000 pessoas, ninguém se importa”. Mas esse espírito de gado vão buscar aonde? Porque é que têm que seguir alguém? Porque é que o mundo todo tem que se importar com os nigerianos que morreram? Porque é que temos que esperar que o mundo todo se importe para nos importarmos? Eu não sou Charlie e também não sou “todo o mundo”. Sou africana e é como africana que falo.

Temos sim, nós africanos, que parar com essa mania de mendigar. Mendigar atenção de uma Europa e de uma América que haja o que “hajar”, com crise ou sem crise, precisando ou não de nos invadir para ganhar o seu, está sempre em cima. Temos que parar de mendigar dinheiro e passar a gerir melhor o que temos, porque nós temos muito. O que não temos de petróleo, temos de diamantes, de ouro, prata e o que mais houver de minério.

A tal independência pela qual muitos morreram não era para ser teórica, era para ser prática.

Pratiquemo-la então. Sem esperar linhas mestras, sem imitar, façamos o nosso, criemos.

E quando não há recursos naturais não renováveis, há os renováveis ou sustentáveis. O turismo é um exemplo. Quem não tem verde tem castanho, tem amarelo, alguma coisa tem. O que falta é investir a sério no maior capital que o continente pode ter: capital humano. Todos os anos temos pessoas capacitadas deixando o continente e indo trabalhar (muitas vezes fora da sua área de formação) noutros continentes. Porquê? Porque nós não temos o básico: educação, saúde e segurança. Porque nós preferimos embolsar, desviar, extraviar as verbas que seriam investidas nessas áreas. Leia mais