"A vida ainda me ensina a não desistir, apesar das desilusões", confessa Joaquim Matamba

Ferramentas

É actor e argumentista, mas também gosta de literatura e de música, angolana e brasileira, preferencialmente as anteriores à década de 90. Entre os autores que leu recentemente, destacam-se o angolano Ondjaki, autor do livro "Os Transparentes". Saiba um pouco mais sobre Joaquim Matamba.

Nome: Matamba Fernando Reis Joaquim ( Matamba Joaquim)

Profissão: Actor e Argumentista

Local e Data de Nascimento: São Paulo, Luanda, 21 de Agosto de 1982

Signo: Leão

Cidade Preferida: Lisboa

Momento de Maior Alegria: O nascimento da minha filha e o meu casamento

Livro Preferido: Gosto muito de ler, portanto fica complicado referir um livro apenas. Por exemplo, “Os Transparentes”, de Ondjaki, “Um Deserto Sem Fim”, de Mohamed Dib, “Na solidão Dos Campos De Algodão”, de Bernard-marie koltés e “Os Negros”, de Jean Genet, não são os preferidos, mas são os últimos que li.

O que sempre sonhou ser: Um bom filho, um bom Irmão, um bom amigo, um bom pai, um bom marido, Um justo ser humano e um bom profissional.

Maior Realização: Ser Pai

Pessoa que mais admira: Os meus pais, Fernando Joaquim e Delfina Reis Emanuel.

Lição mais importante que a vida ensinou: A vida ainda me ensina a não desistir, apesar das desilusões e dos contratempos.

Playlist: Um pouco de tudo. Consumo todo género de música, com alguma preponderância na música brasileira dos anos 40 aos 90, e nas músicas angolanas dos anos 60, 70, 80 e 90.

Restaurante e Bar: O Cantinho do Azizi na Mouraria e o Tabernáculo by Hernani na rua do São Paulo (Lisboa)

Sugestões de Filmes: "O Comboio de Sal e Açúcar", que deve estrear no final do ano. Também gosto de "Blue Jasmin", "Flores Raras", "O Capitão Falcão", "A fonte do Prazer" e "Serra Pelada".