"Moda Made in Angola" debatida no HCTA

Ferramentas

Com o objectivo de estimular as marcas nacionais, decorreu ontem, no Hotel de Convenções de Talatona - HCTA, em Luanda, a primeira edição do "Moda Made in Angola", um evento que contou com a participação activa de todos os intervenientes da moda, nomeadamente, estilistas, indústria e lojas de têxteis.

Em entrevista ao ONgoma, Emília Dias, da organização do evento, afirmou que a promoção das marcas nacionais e a parceria entre os intervenientes do sector foi o foco da primeira edição do certame, do qual se concluiu que é necessário apostar na formação dos criadores da moda, revitalização da indústria têxtil e na inserção da disciplina de design de moda no curriculum escolar.

Por sua vez a estilista Aida Ribelo, do atelier Mil Artes, considerou proveitosa a sua participação no vento, sendo que já participou de outras actividades do género, mas nunca numa que oferece oportunidade de intercâmbio com estilistas de renome. Outra participante, Oriná Hungos, que já expôs em Moçambique e Portugal, disse  que "o país já precisava de um evento como este, porque existem muitos bons estilistas que não têm esta oportunidade, mas agora vai ser possível conhecer o trabalho dos anônimos.

Por fim, Lucy Campos, enalteceu a iniciativa, mas apontou como principal dificuldades do sector a falta de investimento no ramo e a carência de matérias-primas para a produção, sendo que o país não dispõe de indústrias para satisfazer a demanda.

Emília Dias, organizadora do Moda Made in Angola
Oriná Hungos, expositora
Lucy Campos, expositora