Paulo Flores gostaria de ser palhaço

Ferramentas

Autor de grandes sucessos que não nos saem da língua, como “Cherry”, “Xé Povo”, ou ainda “Poema do Semba”, Paulo Flores afirmou recentemente que se não fosse o renomado cantor que hoje conhecemos seria um palhaço. Mas acabou sendo um pouco dos dois, confessou o artista, numa recente entrevista à VIVA, revista de distribuição de TV e Internet, TV Cabo Angola.

“A verdade é que sempre pensei em ser cantor ou palhaço. Acho que consegui um bocado das duas”, afirmou. Ainda na mesma entrevista, o músico revelou que que adora a possibilidade que a música lhe dá de ser todos as personagens das músicas que cria. “Nunca imaginei que aquilo que era desabafos de um miúdo tímido pudesse ter tanto impacto na vida das pessoas”, admitiu.

Entretanto, questionado sobre a sua colaboração e convivência com os artistas mais novos, Paulo Flores disse que, quando lhe solicitam conselhos, pedi à nova geração que siga o seu coração e não ande atrás das modas. “O que as pessoas gostam é de sentir que aquela pessoa é verdadeira. Se montamos uma carreira só pelos aplausos, mas sem verdade, quando acabam os aplausos deve ser difícil”, aconselha.